EnterPlay: empresa 100% brasileira nasce para disputar mercado com NetFlix, AppleTV e operadoras de TV a cabo

Daniel Fernandes

21 de dezembro de 2015 | 07h26

Menta90 (Marcelo Pimenta) é jornalista, professor de inovação da pós-graduação da ESPM e fundador do Laboratorium. Escreve às segundas no Blog do Empreendedor. Para saber mais, curta aqui.
Você está insatisfeito com sua operadora de TV a cabo? Gosta do NetFlix mas acha o serviço ainda limitado só a filmes, séries e documentários de catálogo? Curte Spotify mas não quer assinar mais um serviço online? Pois seus problemas podem estar próximos ao fim. Está em operação – para degustação gratuita até 01-02-2016 – uma nova opção de entretenimento digital, 100% brasileira. “A EnterPlay nasce para democratizar o acesso ao entretenimento digital no país, com a oferta de conteúdo de qualidade, com custo reduzido e facilidade de acesso”, explica Jorge Salles, diretor de operações da Enterplay. “O diferencial está no fato de que o acesso a todos os serviços pode ser realizado a partir de uma única senha e fatura de cobrança, numa mesma interface, por meio de qualquer dispositivo (TV, computador, tablet, smartphone ou set top box) com acesso à internet”. A plataforma reúne os mais diversos conteúdos em uma mesma interface: canais de TV (aberta e por assinatura), música, vídeo on demand, locação de vídeo, pay-per-view, jogos e aplicativos.

“A Grande Beleza” é um dos filmes disponíveis no EnterPlay – que tem acesso gratuito até 01/02/2016.
Meu principal questionamento aos sócios foi buscar entender o motivo deles buscarem empreender num mercado em que gigantes (Claro/Net, TVA/Abril, NetFlix, Globo, Apple/AppleTV, Google/ChromeCast) vêm fazendo grandes investimentos – num segmento de alta tecnologia e de rápidas transformações.   Não é um risco muito grande uma empresa de capital 100% nacional entrar nessa terra de gigantes?  A resposta veio em forma de lista de motivos.
– Não existe no mercado uma oferta similar, onde o consumidor determina o que quer usar – e paga por isso.
– O consumidor brasileiro tem opções ainda restritas para acessar planos de TV a cabo, ficando refém das grandes empresas, que não oferecem muitas opções para o consumidor. – Sobre o mercado alvo, Salles aponta que o serviço foi desenhando “com base nas demandas específicas da Classe C, no entanto, ele se adequa também às classes A e B. Desenvolvemos planos de TV e vídeo on demand que podem ser personalizados pelo próprio usuário, de acordo com seus gostos pessoais e orçamentos”.  Os planos de acesso começam a ser cobrados em fevereiro a partir de R$ 19,90.
– A tecnologia está otimizada para a velocidade de conexão da internet brasileira. “A partir de uma conexão de 3MB é possível ver um filme em Full HD” promete o diretor de operações.Além do mercado B2C (business to consumer), a empresa está de olho no mercado B2B (business to business), já que se constitui numa nova opção de oferta de conteúdo para provedores de internet possam agregar valor aos clientes ao oferecer a EnterPlay como plataforma de conteúdo digital, complementando os pacotes de dados.
Outro diferencial da EnterPlay foi o desenvolvimento de um hardware próprio, o EnterPlay TV, equipamento que permite conectar qualquer TV, incluindo as de tubo, em um equipamento de fácil navegação. “Também oferecemos, opcionalmente, controle remoto com teclado e touchpad sem fio, que facilita a interação. Gratuitamente, também oferecemos um aplicativo que pode comandar a EnterPlay TV de um smartphone ou de um tablet, o iSmartRCU, para Android, por enquanto” detalha Salles.

Para quem deseja transformar sua TV analógica em um aparelho conectado à Internet, a EnterPlay oferece um equipamento que já está em pré-venda nas principais lojas de e-commerce
Com capital nacional, o time de executivos da EnterPlay é formado, além de Salles, por executivos com grande experiência em suas áreas: Fábio Golmia,  Waldemar Alves,  Fábio Vilardo e Gerson Rolim. A empresa conta hoje com um time de 30 pessoas diretamente e terceiriza serviços específicos com várias empresas. Eles planejam atingir o retorno sobre o investimento feito com capital próprio (a quantia não foi revelada) em um ano de operação. As projeções da empresa são atingir 150 mil assinantes até o final de 2016 e chegar a 1 milhão de assinantes até 2018. O serviço de música estava sendo oferecido em parceria com a Rdio (que recentemente fechou sua operação para novos assinantes), mas a EnterPlay promete anunciar um novo provedor de conteúdo em áudio até o início oficial das operações, em fevereiro.
Quer saber conhecer essa nova opção de entretenimento digital? Aproveite, pois é gratuito até o final de janeiro – http://www.enterplay.com.br/.
Para todos que acompanharam esse Blog durante o ano, agradeço demais a atenção e principalmente as mensagens com críticas, sugestões e comentários – que fazem dessa atividade um exercício de aprendizagem, na base da troca. Que as festas de final de ano sejam cheias de alegria e paz. Nos reencontraremos em 2016. Até lá, um grande abraço, Menta.

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do EmpreendedorEstadão PME

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: