Empreendedor de si mesmo: Seja aquilo que deseja

Daniel Fernandes

09 de setembro de 2016 | 11h27


Há 71 anos, neste mesmo dia, Max Ehrmann escrevia a última página da sua história. Nela uma mensagem da coragem de conseguir ser aquilo que desejava, mesmo que isto tenha ocorrido a partir do meio da sua vida. Tendo se graduado em direito pela Universidade de Harvard tornou-se, obviamente, advogado, mas por exigência da família. Não gostava do que fazia, mas mesmo assim, suportou o trabalho por muitos anos. Até que um dia, aos 40 anos, largou sua profissão, seu diploma e os anos de experiência para recomeçar e tornar-se empreendedor de si mesmo. Apesar da descrença de vários amigos e conhecidos, Ehrmann tornou-se escritor, poeta e filósofo. Passou os 33 anos posteriores escrevendo livros, poemas e ensaios para diversos jornais e revistas dos Estados Unidos. Morreu feliz no dia 09 de setembro de 1945, pois sabia que ele mesmo tinha sido o autor da sua própria história.
Por aqui no Brasil, a obra de Ehrmann é mais conhecida por seu poema ‘Há Tempos’, que serviu de base para a música homônima de Renato Russo, do Legião Urbana.
Mas, de volta ao empreendedorismo, para os demais que ainda querem escrever a sua história, Ehrmann deixou um outro texto já de domínio público, mas que precisa ser meditado de tempos em tempos para termos não só tempo, mas coragem de sermos aquilo que desejamos.
“Siga tranquilamente entre o barulho e a pressa, e lembre-se de que há sempre paz no silêncio. Tanto quanto possível, sem se humilhar, viva bem com todas as pessoas.
Fale a sua verdade tranquila e claramente; e ouça a dos outros, mesmo a dos estúpidos e ignorantes. Eles também têm sua própria história.
Evite as pessoas ruidosas e agressivas, elas afligem nosso espírito.
Se você se comparar aos outros, se tornará vaidoso e amargo, pois sempre haverá alguém inferior e alguém superior a você. Aprecie o que já conquistou assim como os seus planos.
Mantenha-se interessado na sua carreira, mesmo que seja modesta, ela é o que de real existe ao longo de todo tempo. Tome cuidado nos negócios porque o mundo está cheio de astúcia, mas não deixe que isto o cegue, pois a virtude continuará existindo. Muitas pessoas lutam por grandes ideais e a vida está cheia de heroísmos por toda a parte.
Seja você mesmo. Especialmente não simule afeição. Nem seja cínico em relação ao amor porque mesmo diante de tanta aridez e desencanto, ele é tão perene quanto a relva.
Aceite gentilmente o conselho que vem com os anos e graciosamente renda-se às coisas da juventude. Alimente a força do espírito que o blindará em momentos de desgraça. Mas não se desespere com perigos imaginários. Muitos temores nascem do cansaço e da solidão. E mesmo diante de uma disciplina rigorosa, seja gentil consigo mesmo.
Você é filho do Universo mas não menos do que as árvores e as estrelas. Tem o direito de estar aqui e mesmo que não fique claro para você, não há dúvidas de que o universo vai cumprindo o seu destino.
Desta forma, esteja em paz com Deus, como quer que você o conceba. E quaisquer que sejam as suas tarefas e aspirações na barulhenta confusão da vida, mantenha-se em paz com sua própria alma.
E mesmo com todos os enganos, sofrimentos e sonhos desfeitos, o mundo ainda é belo. Alegre-se e faça tudo pra ser feliz.”
Marcelo Nakagawa é Diretor de Empreendedorismo da FIAP e Professor de Empreendedorismo e Inovação do Insper.
 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.