Ele fundou a escola da sorte e recuperou a forma de viver

Daniel Fernandes

01 de maio de 2015 | 07h01

Marcelo Nakagawa é professor de empreendedorismo do Insper
Quer ter mais sorte? Deveria conhecer então Richard Wiseman. Ele não é apenas um homem sábio, é um empreendedor que soube utilizar a sorte ao seu favor. Formado em psicologia, atualmente é professor na Universidade de Hertfordshire (Inglaterra). É pesquisador talentoso tendo publicado inúmeros artigos científicos e livros bestsellers. Palestrante requisitado por muitas empresas e webcelebridade, com seus vídeos no YouTube vistos por milhões de pessoas. Tudo isto porque ele foi visionário ao escolher o seu tema de pesquisa: a sorte. Não se limitou a publicar os resultados da sua pesquisa, mas tornou-a popular a ponto de criar a Escola da Sorte em que ensina seus alunos a terem mais… sorte. Os resultados impressionam, já que mais de 80% dos participantes acham-se mais sortudos após o curso.
Antes que rotule Wiseman como mais um guru superficial da autoajuda instantânea, deveria refletir em qual grupo inicial de trabalho você se encaixaria: o grupo dos que têm mais sorte na vida, o dos indiferentes ou o time dos azarados.
Para iniciar sua pesquisa, ele publicou um anúncio nos principais jornais e revistas da Inglaterra convidando pessoas que se consideravam sortudas e azaradas para entrarem em contato. Milhares se candidataram e Wiseman escolheu 700 pessoas que acompanhou durante anos. Ao término do estudo a conclusão de que pessoas que se consideram sortudas e azaradas têm comportamentos padrão.
As pessoas sortudas, por exemplo, sorriem duas vezes mais! Você está sorrindo agora? Vão a mais eventos sociais e olham mais nos olhos das pessoas que conversam se comparado aos azarados. São mais descontraídas e abertas a novas experiências. Não se limitam por convenções e se sentem melhor com a imprevisibilidade. Desta forma, os sortudos viajam mais e tendem a esperar que coisas boas aconteçam. Mesmo na adversidade, as pessoas sortudas enxergam o lado positivo ou construtivo da situação.   Por estarem sempre abertas, positivas e em movimento, as pessoas sortudas percebem, se deparam e são mais lembradas quando há oportunidades. Por isso, os melhores empreendedores têm muita sorte!
Wiseman lembra, por exemplo, que uma das pessoas sortudas que entrevistou tinha o hábito de pensar em uma cor antes de chegar a uma festa e depois conversar com todas as pessoas que usavam roupas com aquele tom no evento. Era uma forma divertida de se apresentar que também aumentava as chances de fazer novos amigos. Simples assim.
Os indiferentes e azarados, por sua vez, perdem boas oportunidades porque estão muito focados buscando algo de valor claro ou não querem perder tempo com o que acham ser bobagens. Ele explica que pessoas azaradas gostam de rotina. Tentam fazer do mesmo jeito e, nos eventos, falam sempre com as mesmas coisas com mesmas pessoas. Quando interagem com desconhecidos, visam resultados e perdem a oportunidade de fazer novos bons amigos. No final do dia, não se sabe se a pessoa é azarada porque é chata ou é chata porque é azarada.
Mas para mudar esta situação negativa e aumentar a sorte das pessoas, Wiseman criou a Escola da Sorte que se fundamenta quatro disciplinas que podem ser aprendidas, praticadas e desenvolvidas:
– Aumente as situações de oportunidades: Expanda sua rede de contatos sem considerar interesses pré-estabelecidos, torne-se mais descontraído(a) perante a vida e sempre esteja aberto a novas experiências. Fácil, não?
– Ouça mais suas boas intuições: Aprenda a calibrar suas decisões baseadas em seus bons pressentimentos. A autoconfiança vem com a prática consciente disso.
– Pense positivo e perceba as coisas boas: Note que as coisas boas em nossas vidas sempre ocorrem um número muito maior do que as ruins. E isto continuará prevalecendo.
– Aprenda a levantar-se quando cair: E mesmo se algo ruim ocorrer pratique com ainda mais afinco as três disciplinas anteriores.
A conclusão da pesquisa de Wiseman é a mesma de qualquer outro bom estudo científico: o óbvio. Para se ter mais sorte na vida apenas viva e conviva mais.
E para os que não concordam com isso, fique longe deles. Dá azar!
Conheça um pouco mais sobre o trabalho do Professor Wiseman em www.richardwiseman.com e boa sorte!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.