Cresce número de jovens de 18 a 24 anos interessados em franquias

Cresce número de jovens de 18 a 24 anos interessados em franquias

Jovens com pouca experiência e mais velhos com muita bagagem estão na linha de frente de interesse segundo dados do Portal do Franchising; é preciso, porém, estar atento a predadores do sistema

Ana Vecchi

18 de junho de 2021 | 13h33

Dias atrás tive a curiosidade de analisar o comportamento do mercado interessado em empreender em franquias, através de dados formais, e o que mudou de março de 2020 a 2021. Resolvi conversar com o Beno Krivkin, fundador e CEO da Tribecca, empresa responsável pela gestão do Portal do Franchising da Associação Brasileira de Franchising (ABF), ou seja, a pessoa que sabe os bastidores de todos estes números, que nos interessam, sempre atualizados. Beno, também, é amigo de décadas. Confiança é premissa básica na relação com os dados apresentados.

A questão de faixa etária nos chamou a atenção porque dobrou o porcentual de acessos, no Portal do Franchising da ABF, de pessoas entre 18 e 24 anos, dentro das faixas de idade. Hipóteses: os jovens já querem sair da faculdade e empreender, fazer junto talvez substituindo o estágio e se preparando para o futuro próximo, apostando no negócio próprio que tem sido a grande pegada e “tábua de salvação”, neste mais de ano de pandemia. Qualquer que seja o  estímulo, ou razão, só podemos afirmar que o crescimento foi surpreendente!

A variação de mais de 60% dos acima de 55 anos aos 65 anos não para de crescer, é orgânico, mas este ano foi um boom também.

Fonte: Tribecca/Portal do Franchising ABF

Estes dados confirmam a credibilidade que o Sistema de Franchising representa, por todos os aspectos que eu já trouxe nos artigos e entrevistas ao longo de anos, entre tantas outras fontes críveis de divulgação a que todos temos acesso. 

Cabe ressaltar que credibilidade e conhecimento adquirido através da experiência e estrutura de uma empresa franqueadora não são sinônimo de garantia de sucesso!

Todos os anos em que vivenciamos algum tipo de crise, o franchising é a bola da vez, a aposta em substituir a perda do emprego e do salário pelo investimento fruto do FGTS e o dinheiro guardado, no negócio próprio e pró-labore. A esperança em investir e ter retorno.

  • Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

E para milhares de pessoas deu muito certo. Sendo que outros tantos, caíram em roubadas criadas por oportunistas, dentre eles franqueadores quebrados, vendedores de franquias cujas metas são apenas dezenas de unidades de várias marcas vendidas/semana e a comissão, além de equipes de expansão de redes com medo de perderem o emprego se não venderem mais unidades.

Não interessa quem está comprando e o que as franqueadoras têm a entregar, ou não. Estes são os predadores do franchising!

Temos como números, no comparativo de idades com maiores índices de interesse, jovens com pouca experiência de vida e os prateados com muita experiência de vida, porém talvez com pouca prática empresarial e desconhecimento no setor e no segmento em que está investindo.

Cresce interesse por franquia entre jovens de 18 a 24 anos. Foto: Jeswin Thomas/Unsplash

Não deixo de considerar como bons os números que fortalecem o franchising, porém não consigo deixar de alertar os menos experientes em empreender sobre os predadores. Há muitas presas devido a um momento que mexe demais com as finanças familiares, o emocional de cada um e um futuro incerto em todos os aspectos. 

Portanto, peço a todos (nós) responsáveis pelo bom franchising que fechemos o cerco para que os que vendem a garantia de sucesso, o dinheiro que retorna fácil, a promessa do rápido ROI, não tenham espaço para cometer o crime de quebrar tantas famílias!

Jovens, prateados, adultos e crianças, criadas com os pró-labores de franqueados e salários de funcionários de franquias, sejam bem-vindos ao franchising profissional e sustentável!!

Este traz uma experiência incrível, sólida e colaborativa. O sonho de todos nós, empreendedores.

* Ana Vecchi é consultora de empresas, CEO na Ana Vecchi Business Consulting, professora universitária e de MBAs, pós-graduada em marketing e com MBA em varejo e franquias. Atua no franchising há 28 anos em inteligência na criação e na expansão de negócios em rede.

Tudo o que sabemos sobre:

EmpreendedorismoFranquiafranchising

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.