Compro uma franquia ou abro um negócio só meu?

Daniel Fernandes

12 de novembro de 2014 | 06h26

Leo Spigariol, da De Cabrón, escreve toda quarta-feira
Aposto que você, quando decidiu empreender, em algum momento do processo foi atacado por aquela dúvida: monto meu negócio do zero ou compro uma franquia? Basicamente, crio know how do zero ou me apropriou de algo que, em tese, já vem dando certo?
Essa resposta talvez só será respondida se você realmente for sincero consigo mesmo. De verdade. Encarar seu projeto próprio exige ter desenvolvido uma série de competências que talvez você nunca tenha ouvido falar. E, talvez, o caminho de comprar uma franquia apresente-se como um atalho fácil e rápido para a efetivação do negócio e maior garantia de retorno de capital, afinal, alguém já arriscou por você. E é por isso que as franquias, de um modo geral, custam muito mais.
Faça uma análise real de suas habilidades. No post anterior falei um pouco sobre isso.Agora pergunto para você que já decidiu trilhar o caminho solo: como você vai implementar seu projeto? Quais são suas habilidades? Você é técnico em determinado assunto ou é um vendedor nato? Inicialmente, o ideal é que você seja, ao menos, um ótimo vendedor. Por isso gostaria de compartilhar uma experiência extremamente positiva recentemente.
Nesta última segunda-feira, estive em uma das lojas da rua do Comércio, em de Santa Cruz do Rio Pardo, para comprar uma cadeirinha de criança para carro. Passei por várias lojas e me deparava com aquela abordagem padrão: conhecimento técnico superficial e pouca sintonia. Quando fui surpreendido por um vendedor na última loja em que passei. O atendente era um garoto super novo, mas com incrível educação e postura, me conduziu até o mostruário.
Fiz diversas perguntas específicas e todas as respostas estavam na ponta da língua de forma precisa. Diferentemente da vendedora da loja anterior – uma loja especializada em artigos de crianças – que não sabia me responder nenhuma das perguntas que fiz. Nesta última loja, o produto era um pouco mais caro em relação aos modelos encontrados em outros lugares, todavia, decidi pela compra com o jovem vendedor. Quando olhei a fila do caixa, desisti. Afinal, internet é bem mais fácil e rápida, não?
O jovem vendedor, preocupado com o cliente e pronto para conseguir me atender da forma mais rápido possível, driblou o protocolo e conseguiu uma forma de faturar a peça e mandar entregar em meu endereço no dia seguinte. E o mais interessante de tudo: já tive que pegar essa bendita fila umas três vezes em outras ocasiões. Certamente esse garoto, pela iniciativa e postura profissional já o faz um empreendedor.
Essa é uma das situações que você quando for empreender precisará ficar atento com sua equipe. Em um modelo de franquia você terá a sua disposição todas as ferramentas necessárias para começar: produto ou serviços formatados, resolvidos, formatados; treinamento para funcionários, permitindo que os mesmos recebam um, digamos, padrão de qualidade; e assim por diante. Se optar por criar seu negócio do zero, você terá que criar essa cultura. Aí é com você. O desafio é maior e a recompensa, somente sua.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.