Como escolher a maquininha de cartão para a sua microempresa?

Como escolher a maquininha de cartão para a sua microempresa?

Mercado tem diferentes opções de máquina, que incluem cartões e linhas de crédito; veja 5 dicas para saber como escolher a sua, com atenção a taxas 'invisíveis'

Redação

17 de novembro de 2021 | 09h49

Por Gracielle Alves da Rocha Baldino, analista de negócios do Sebrae-SP

As máquinas de cartão se tornaram bem populares e acessíveis. São raros os estabelecimentos que não têm essa forma de pagamento disponível e quem não oferece essa opção perde competitividade e oportunidades de vendas.

Além de ser uma forma de evitar os antigos “calotes”, o empreendedor pode utilizá-la de forma estratégica para o seu negócio, usufruindo de outros benefícios que vão além de aceitar diversas bandeiras e formas de pagamentos.

Por essa e outras razões, o empresário deve se atentar antes de escolher ou mudar a forma como vai receber pelas vendas realizadas na sua empresa. Para auxiliar nesta escolha, seguem algumas dicas valiosas.

1. Taxas

Parece que você já ouviu sobre a importância de se atentar a elas, porém o óbvio sempre precisa ser dito, afinal essas taxas podem impactar diretamente no lucro da sua empresa. Elas precisam ser contabilizadas na estratégia financeira visando que este custo seja sempre coberto por meio dos preços de vendas dos seus produtos.

2. Você precisa mesmo de máquina com bobina de papel?

É importante se atentar ao tipo de máquina escolhida e se ela tem a ver com o seu público. Apesar de muitas pessoas terem smartphones e preferirem receber via SMS ou e-mail, existem casos em que o público pode exigir o recibo impresso. Por isso, é importante conhecer bem o seu mercado, pois, dependendo do perfil do seu cliente, esse custo de manutenção será totalmente dispensável. Portanto, analise o seu público e tenha a máquina.

Alta concorrência entre maquininhas traz vantagens para o empreendedor. Foto: Gabriela Biló/Estadão

3. Facilidades e vantagens que talvez você não conheça

Além da escolha do tipo de máquina, é importante estudar a instituição à qual ela está vinculada. Existem empresas que, além da máquina, oferecem cartões por meio dos quais você consegue utilizar os valores recebidos na máquina, com controle de entradas e saídas por meio de aplicativos. Tem até aquelas que possibilitam realizar o controle do estoque e também linhas de crédito com taxa de juros atrativas para a alavancagem do seu negócio. Use a máquina de cartão estrategicamente, de modo que ela seja um item que vai além de um meio de recebimento.

4. Custos adicionais

É fácil se atentar apenas àquilo que está nítido, como as taxas de que falamos no primeiro tópico, mas existem outros custos que devem ser considerados no momento da escolha da sua máquina de cartão, como aluguel, taxa de adesão, taxas de antecipações de recebimento, de inclusão de bandeiras etc. Existem diversos custos “invisíveis” que, assim como no caso das taxas, vão impactar na saúde financeira do seu negócio, então atente-se a eles!

5. Que tal um PIX?

Hoje, temos uma nova opção para o recebimento instantâneo e que não gera custos adicionais, nem para você nem para o seu cliente. Com o PIX, além do dinheiro ficar disponível imediatamente na sua conta, você não terá intermediários nas transações de pagamento, o que reduzirá os seus custos. Então, de acordo com o seu público, verifique se esta forma de pagamento é viável e comece a oferecê-la a seus clientes.

Dados os cuidados no momento da escolha pela maquininha de cartão, vale reforçar a importância de disponibilizar este meio de pagamento para seus clientes, visto que, atualmente, as pessoas estão em busca de praticidade e raramente têm dinheiro em espécie em mãos. Então, não perca vendas por não disponibilizar esta forma de pagamento.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Tudo o que sabemos sobre:

EmpreendedorismoSebraePixmicroempresa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.