Como calcular o valor de uma empresa? Veja dicas em três passos

Como calcular o valor de uma empresa? Veja dicas em três passos

Para avaliar uma empresa, é preciso levar em conta sua situação patrimonial, seu potencial para gerar lucro e os gastos feitos antes das operações; confira dicas do Sebrae-SP

Redação

27 de dezembro de 2021 | 17h14

Por Gerson Crociati, consultor de finanças do Sebrae-SP

Em princípio, o valor de uma empresa é determinado a partir do momento que consideramos três pontos principais:

  1. a situação patrimonial
  2. o potencial para gerar lucro e caixa
  3. os gastos realizados antes do início das operações

A 1) situação patrimonial da empresa será determinada a partir do momento em que mensurarmos os bens e direitos que a empresa possui e as obrigações financeiras a pagar com terceiros em um determinado momento. Seria algo como uma “fotografia” dos saldos monetários dos controles financeiros e dos controles econômicos da empresa.

O valor total dos bens e direitos representam um patrimônio positivo, e o valor total das obrigações financeiras a pagar representam um patrimônio negativo – e chamaremos de patrimônio líquido a diferença entre o patrimônio positivo e o patrimônio negativo.

Os bens e direitos que a empresa possui são representados basicamente pelos saldos existentes em caixa, contas correntes bancárias, aplicações financeiras, contas a receber, estoques e os valores atuais dos mobiliários, máquinas, equipamentos, veículos, ferramentas e outros bens, no estado em que se encontram.

Foto: Tiago Queiroz/Estadão-21/2/2019

As obrigações financeiras com terceiros são representadas basicamente pelos saldos a pagar por salários, encargos e benefícios salariais, fornecedores, impostos, comissões, despesas fixas operacionais, empréstimos e financiamentos.

Por outro lado, para calcularmos o valor de uma empresa, também precisaremos considerar fatores que serão de difícil mensuração em termos individuais, como por exemplo, o nome/marca, o tempo de existência, a fatia de participação de mercado, a carteira de clientes, o conhecimento, o capital humano. Todos estes fatores, juntos, são representados pelo 2) potencial da empresa em gerar lucro/caixa a cada ano.

A capacidade da empresa em gerar lucro/caixa dever ser calculada a partir da projeção de vendas e projeção de gastos (custos, despesas e investimentos) para os próximos cinco anos, considerando um possível crescimento ou uma possível estabilização ou até mesmo uma retração no mercado e no segmento em que a empresa atua.

É importante lembrar que após o quinto ano projetado, também precisamos considerar que, teoricamente, a empresa teria a possibilidade em gerar lucro/caixa de forma indefinida ao longo do tempo e, para tanto, precisaremos incorporar o conceito de perpetuidade advindo da matemática financeira.

Esta projeção de valores de lucro/caixa gerados no futuro deverão ser trazidos para valor presente, em função de uma taxa de desconto (percentual ao ano) que possa expressar o risco operacional da empresa e, mais uma vez, utilizando-se de conceitos da matemática financeira.

Assim, o valor da empresa seria dado pelo valor presente da projeção de lucros/caixa gerados no futuro, adicionando-se o valor do patrimônio positivo, deduzindo-se o valor do patrimônio negativo e adicionando-se os 3) gastos pré-operacionais (trazidos a valores atuais), gerando assim, um valor de referência para a empresa.

De forma a completarmos esta análise do valor da empresa, é importante também pesquisarmos e considerarmos no mercado o valor de empresas similares, do mesmo segmento de atuação e com tradição e porte que sejam relativamente parecidos com a empresa que estamos avaliando.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Tudo o que sabemos sobre:

EmpreendedorismoSebraeempresa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.