Combinação mágica: food + design

Daniel Fernandes

04 de setembro de 2017 | 08h59

Vira e mexe me pedem indicações de cursos de alta performance com foco em empreendedores da gastronomia.
Pois agora em outubro começa um curso inédito no Brasil, e que vale a pena recomendar: o Food Design do IED – Istituto Europeo di Design São Paulo.
A proposta de imediato me atraiu: o estudo dos processos que geram alto valor agregado no negócio de alimentação. Isso significa, entre alguns dos pontos abordados no curso, percorrer a gestão, o mercado, o consumidor, o produto, a embalagem, a marca, as mídias, a logística, as ferramentas, etc. O Food Design tem como objetivo alinhar todos estes vetores em um sistema holístico e eficiente. E, o mais importante, transformar tudo isso num negócio produtivo e rentável.

Entrevistei o coordenador do curso, o argentino Christian Ullmann, que tem um currículo de alto nível: formado em Desenho Industrial pela Facultad de Arquitectura, Diseño y Urbanismo de la Universidad de Buenos Aires, na Argentina. Atua como designer, consultor e coordenador de projetos no Brasil para empresas, governos e instituições desde 1996, e seus produtos e projetos receberam prêmios na Itália, Espanha, Brasil e Argentina. É coordenador do Núcleo Exploratório de Design do Istituto Europeu di Design desde 2015.
Christian afirma – e concordo com ele – que “desenhar um alimento significa tornar o ato de comer mais completo, saberes e sabores se amalgamam em relação a uma perspectiva sociológica, antropológica, econômica, cultural e multissensorial”.  Os professores convidados são uma atração à parte, pois trazem a experiência acumulada ao longo de muitos anos e tem a capacidade de resumir isso aos alunos.
O curso tem duração de um ano, com aulas nos finais de semana alternados, o que permite que profissionais atuantes, pessoas que trabalham, ou de fora de São Paulo, possam participar, e um módulo final em Barcelona. Resumo:
Cultura alimento e Design – Conhecimento dos aspectos culturais relacionados ao ato de se alimentar e introdução das ferramentas do Design para um pensamento crítico deste universo.
Tecnologia e Negócios – Desde a visão do Pensamento de Design: pesquisa e desenvolvimento de estratégias para negócios gastronômicos, de grande ou pequena escala, bem como o desenvolvimento de acessórios e complementos.
Projeto : Food Design Experience – Aplicação prática dos conhecimentos adquiridos, observando oportunidades de mercado e desenvolvimento de serviços.
Módulo internacional- ampliar o conhecimento do Food Design em um contexto europeu, com práticas consolidadas. Desta forma, o aluno traz o conhecimento de práticas assertivas ao seu projeto, em um processo de benchmarking. A sede escolhida foi Barcelona por misturar elementos da cozinha francesa, espanhola, mediterrânea com Turismo, Arte e Hospitalidade de forma contemporânea. Barcelona se tornou um ponto de referência internacional para o universo do design, alimentos, gastronomia, turismo e eventos.
O Istituto Europeo di Design foi inaugurado em 1966, na Itália, e se apoia na síntese do pensamento do seu fundador Francesco Morelli: “saber e saber fazer”. Nada mais apropriado para um empreendedor. Para saber mais detalhes, confere o link.
Ivan Primo Bornes – empreendedor e fundador da rede de rotisserias Pastifício Primo (www.pastificioprimo.com.br) ivan.primo@pastificioprimo.com.br

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do Empreendedor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: