Cinco dicas de dois empresários que acabaram de superar a 'morte'

Daniel Fernandes

04 de novembro de 2014 | 06h05

Estamos comemorando o aniversário de cinco anos do The Basement, o pub inglês que inauguramos em Blumenau tempos depois de vender a cervejaria Eisenbahn. É uma data muito especial, que consolida a empresa, afinal, são muitos os empreendimentos do segmento que fecham as portas bem antes de atingir essa idade.
Vivemos momentos difíceis, desses que fazem a gente pensar em desistir e engordar as estatísticas de mortalidade de micro e pequenas empresas no País. Mas conseguimos, até hoje, superar cada um desses momentos, chegando saudáveis até aqui. Em nosso post de hoje, gostaríamos de elencar cinco lições que aprendemos nesses cinco anos.
Vamos lá?
1 – É o cliente que define como será o seu negócio: fundamos o The Basement como um gastropub, algo mais para um restaurante que para um bar, mas aos poucos percebemos que os frequentadores preferiam ouvir música ao vivo e ficar até bem mais tarde do que nossa ideia inicial. Fizemos a adaptação, sem perder, é claro, nossa identidade. Continuamos nos esforçando para oferecer uma boa comida.
2 – O segredo do fracasso é tentar agradar a todos: não tente agradar todo mundo. Um restaurante está muito sujeito a críticas e sugestões. Em tempos de redes sociais, ficou muito fácil para qualquer cliente expor suas opiniões. Todo mundo tem preferências pessoais. Uns gostam de rock, outros de blues. Para alguns, o volume da música deveria ser mais alto. Para outros, mais baixo. Não se assuste com as críticas recebidas e saia mudando as características do seu negócio. Analise-as com calma, sem precipitação.
3 – Os outros se divertem enquanto você trabalha: o segmento de bares e restaurantes pode ser cruel para o empreendedor que acredita que vai reunir diversão e lucro no mesmo lugar. Sem dúvida, amamos inventar novidades para o cardápio, lançar festas temáticas e receber bem nossos clientes, para que tenham uma excelente experiência no nosso pub. Mas um restaurante é uma fábrica cujo prazo de entrega expira em 15 minutos. Atrasou, azedou a experiência. Ou seja, é um trabalho que exige atenção – e tensão – constante.
4 – O sucesso de um negócio não garante o de outros: Depois que abrimos o The Basement, nos empolgamos e abrimos uma casa de sushis e um restaurante italiano. Nenhum dos dois decolou como queríamos. Vendemos o primeiro e fechamos as portas do segundo. Analise bem e veja se essa expansão de negócios é necessária e, também, possível.
5 – Seja persistente, não teimoso – uma característica muito importante que todo empreendedor deve ter é a persistência. Acreditar em algo e perseguir os objetivos com muita disposição e garra é fundamental. Mas não confunda persistência com teimosia. A teimosia é burra, e pode levar empreendedores a bancarrota. Quando as coisas não dão certo por muito tempo, é preciso recuar e repensar a estratégia, para não correr o risco  de ver seu negócio morrer. É importante considerar a estratégia de saída no planejamento estratégico, caso as coisas não aconteçam conforme o previsto.
Bruno e Juliano fundaram a Cervejaria Eisenbahn, um pub inglês em Blumenau e agora, à frente da Alimentos Pomerode, trabalham na criação de uma marca de queijos especiais. Escrevem todas as terças aqui no Blog do Empreendedor.
 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: