Beleza não se discute. Não? Por que isso mesmo?

Daniel Fernandes

26 de março de 2014 | 06h34

Chincho Cabrón, mestre pimenteiro da De Cabrón
Leo Spigariol escreve toda quarta-feira
E por que vivemos em uma sociedade que valoriza tanto algo que parece ser tão indiscutível? A beleza é algo cultural. E isso vem desde que nos conhecemos por gente, lá atrás, quando nossa única preocupação era caçar o que comer. As mulheres buscavam homens que, de alguma forma, trouxessem a segurança para sua futura prole.
Força, agilidade e capacidade de abater um animal mais rapidamente do que o vizinho da caverna ao lado eram atributos importantes para essa sobrevivência genética. Talvez ai nascia a cultura. A cultura do belo, mesmo que, sendo tão primitiva e ingênua as escolhas de nossos antepassados. Estou longe de ser um sociólogo, mas também sou um escravo da beleza.
Olhos claros, cabelos lisos, sorriso perfeito, uau! Estes são atributos que talvez estejam no inconsciente da maioria das pessoas, quando dizemos para descrever o modelo e a materialização ideal de beleza. Ontem por exemplo, vi que a cantora Anitta agora está loira. Agora me pergunto: por que ela não ficou ruiva? Ou deixou os cabelos cacheados e negros?
Por que temos tamanha falta de personalidade, que nos leva de forma tão voraz a esse modelos? Viva a chapinha!Entender isso é importante para saber como direcionar seu produto. Porque, no fim das contas, você precisa vender. E, para vender, é necessário seduzir.Esse processo de encontrar a forma perfeita é um exercício que não cansamos de fazer, ora em seu formato, ora em seu sabor.
O Chincho Cabrón, nosso mestre pimenteiro, constantemente busca novas possibilidades de melhoria. A evolução é constante por aqui. Dias desses, encontrei o primeiro vidro de molho de pimenta que produzimos para comercialização.
Por um instante, em silêncio, lembrei de como foi transgressor lançar nosso molho, mas que de longe a primeira versão, para mim, não era a ideal, como designer. Mas encaramos o desafio e sabíamos que era necessário lançar.Assim como um padrão de beleza pode ser um carrasco a nos cegar e impedir de enxergar inúmeras riquezas a nossa volta, temos de entender que a vida é recheada de opções. E experimentar somente um sabor na vida é, sem dúvida, é a pior prisão.
Curtiu? Então multiplique. Repasse. Trafique. Contra bandeie esse conteúdo. Sem medo de ser feliz. E até a próxima quarta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.