Até quando você vai fingir que tem planejamento financeiro?

Até quando você vai fingir que tem planejamento financeiro?

Falta de planejamento financeiro é principal fator para inadimplência; mais de 40% dos empreendedores que fecharam as portas nos dois primeiros anos do negócio não tinham recursos financeiros

Redação

23 de novembro de 2021 | 16h09

Por Charles Bonani, professor de Finanças da Escola Superior de Empreendedorismo do Sebrae–SP *

A inadimplência é um problema que acomete as finanças da grande parte da população brasileira. Recente estudo de caso sobre comportamento financeiro que envolveu mais de 200 pessoas, realizado em colaboração com os alunos da Escola Superior de Empreendedorismo (ESE), Faculdade do Sebrae, alerta que o problema pode incluir pessoas de diversas idades e classes sociais, embora as classes C e D ainda sejam as mais atingidas.

O motivo? Falta de planejamento financeiro, fator essencial, tanto para quem quer ter uma vida financeira mais equilibrada, como para quem tem o sonho de empreender.

Segundo o estudo, estima-se que 50% das pessoas majoritariamente entre 20 e 45 anos, com nível de ensino médio, consideradas consumidoras ativas, tenham dívidas relacionadas a cartões de crédito e despesas básicas como aluguel e financiamento. Além disso, boa parte dos entrevistados teve dificuldade em reconhecer que passam por uma situação de endividamento elevado ou que nunca realizam o planejamento financeiro pessoal.

Planejamento financeiro é essencial para vida pessoal e jornada empreendedora. Foto: Werther Santana/Estadão

O estudo ainda aponta que, dentro deste grupo, há pessoas que não estão endividadas, mas não realizam investimentos pela falta de reserva financeira ou pela falta do hábito. Tais estimativas demonstram a dificuldade do brasileiro em poupar e investir.

Entre os inúmeros fatores que influenciam estes comportamentos, pode-se considerar que o gasto por impulso e sem planejamento é o principal vilão das finanças pessoais. Contribuem para isso a falta de entendimento sobre o perfil de consumo de cada pessoa e a forma como certas estratégias de marketing e publicidade são difundidas. Quando elas não são realizadas de forma objetiva e transparente, tendem a ocasionar falsas sensações de prazer e bem-estar, fazendo com que pessoas consumam mais do que suas rendas comportam.

  • Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Inclui-se ainda a ausência de educação financeira e empreendedora por boa parte da população sobre como ter controle de gastos, saber poupar e investir para realizar sonhos, dentre eles a criação do próprio negócio. Para se ter uma ideia, mais de 40% dos empreendedores que fecharam as portas dos seus negócios nos dois primeiros anos de existência o fizeram pela falta de recursos financeiros para manter suas operações.

O fato é que sem planejamento financeiro não há possibilidade de realizar objetivos a curto, médio ou longo prazo. Não existe segredo para criar uma conduta financeira: é importante realizar um planejamento partindo do que se ganha e buscar um método de reservas financeiras para não ter que recorrer a empréstimos e juros altos em situações de emergência.

Como guardar dinheiro para empreender?

Quem quer se tornar um empreendedor precisa criar bons hábitos com as finanças. É possível começar perguntando:

  • No que quero empreender?
  • Como quero concretizar este sonho?
  • Qual quantia necessária para começar?
  • Quanto tempo devo guardar dinheiro?
  • Onde posso economizar a partir de hoje?

Fingir que não é necessário ter planejamento financeiro é o pior erro que se pode cometer para empreender. Sem mudanças, não há concretização de sonhos.

A Escola Superior de Empreendedorismo do Sebrae conta com cursos livres online que auxiliam as pessoas no planejamento financeiro e ter mais autonomia para criar seu próprio negócio. Conheça mais aqui.

* Artigo com colaboração de Kelly Christi, analista de marketing de conteúdo na ESE-SP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.