Atari enterrou milhares de cartuchos de 'E.T' no deserto; o que o empresário pode aprender

Daniel Fernandes

30 de abril de 2014 | 09h25

Um produto inovador para a época, o vídeo game. O personagem mais famoso da época (é até hoje!!!), E.T., o simpático extraterrestre de Steven Spilberg. Um jogo para o novo divertimento da época com esse mesmo personagem. O que poderia dar errado? Tudo. De acordo com os especialistas, o game foi mal concebido, as vendas foram fracas e o resultado foi um estoque gigantesco encalhado. O que fazer com as sobras para não piorar ainda mais as coisas? Certamente não era ter enterrado os jogos no deserto.
Mas foi exatamente isso que a Atari fez. E com isso, além de engolir o enorme fracasso, conviveu com a lenda durante esse tempo todo. Ou seja, perpetuou o fracasso! Essa é a primeira lição que os empreendedores podem depreender da incrível história contada pelo Link. Mas existem outras.
Popularidade?
Uma fórmula de sucesso não é sucesso até que suas vendas provem isso. Portanto, o empreendedor deve estar atento aos testes de mercado com as versões iniciais do produto. É preciso colher a opinião do consumidor e usá-la para melhorar aquilo que se coloca no mercado. É famosa a frase de Steve Jobs indicando que o possível cliente não sabe exatamente o que ele quer. Mas atenção: isso se aplicava à Apple, e durante um determinado período de tempo apenas.
Você conhece o mercado?
No Modo Arcade, blog mantido pelo jornalista João Coscelli, há outra informação valiosa para o empreendedor. Na época – estamos falando de 1983 -, a indústria de games vivia uma espécie de boom. O resultado era que o mercado estava repleto de jogos domésticos mal feitos e não oficiais. Ou seja, havia concorrência demais e uma retração do consumidor com essas ofertas (olha o cliente aí, de novo!).
Fracasso
Nos Estados Unidos, ao contrário do Brasil, existe a valorização do fracasso empreendedor. Quem falha, merece destaque porque tentou. Não é considerado um fracassado. Mesmo assim, decidir enterrar os jogos só alimentou uma lenda durante décadas e que agora se prova verdadeira. A solução poderia ser outra, por mais custosa que parecesse.
Aprendizado
Por fim, o de sempre: o empreendedor precisa entender porque falhou e o que poderia ter feito diferente. E melhorar a próxima versão. É fato que a Atari lançou uma série de novos games no mercado com relativo sucesso, mas também não soube efetivamente se moldar aos novos tempos e conviver com as evoluções de um mercado que até hoje usa a inovação como mola propulsora para sua engrenagem.
Daniel Fernandes é editor do Estadão PME e escreve de vez em quando no Blog do Empreendedor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: