Aprenda a escutar críticas. Todas. E sem mimimis

Daniel Fernandes

04 de fevereiro de 2015 | 06h10

Leo Spigariol escreve toda quarta-feira no Blog do Empreendedor
Sem dúvida alguma a autocrítica é uma habilidade que todos nós deveríamos desenvolver, sobretudo conseguir olhar para a própria empresa de fora, como se estivesse em órbita, olhando lá de cima. Assim, talvez, como a cadelinha Laika, primeiro ser vivo que foi para o espaço, enviado pela sonda russa em 1959 – talvez porque dizem as más línguas que ela partiu daqui para órbita já em óbito.
Vou arriscar: essa habilidade talvez seja uma das últimas etapas no processo evolutivo de um indivíduo. Eu, por exemplo, estou longe de alcançar esse nirvana espaço-temporal. Longe mesmo. E olha que estou em constante busca de dinâmicas para o autoconhecimento e formas de melhorar a autocrítica. Mas, ter esse olhar imparcial não é tão simples assim. Somos míopes quando falamos de nós mesmos. E o que mais contribui para isso, sem dúvida, é a emoção, que consegue distorcer a realidade. Mas a emoção é ruim assim? Quantos e quantos casos vemos de empreendedores de grandes realizações para os quais a emoção foi o fator fundamental para seu sucesso? Arrisco dizer: nenhum. Por isso, aprenda a lidar com suas emoções.
Você é capaz de dizer quais são seus defeitos? E como as pessoas lhe enxergam ou lhe percebem? Se tiver dificuldade em verbalizar isso, é mais do que natural. Muito mais fácil falar de suas habilidades? Sem dúvida alguma isso reflete também na gestão da sua empresa. Você sabe, de fato, quais são os defeitos de seu negócio? Muitos deles você só vai descobrir quando contratar uma boa consultoria. Quando toco no assunto, sempre tem alguém para retrucar: se consultor fosse tão bom assim, ele teria sua própria empresa de sucesso. Já ouvi diversas vezes isso. Mas não concordo. O consultor é como um terapeuta: alguém que conhece as ferramentas e, sobretudo, não tem vínculo emocional com você ou com seu negócio. Ultimamente temos sentido o doce sabor amargo de ter alguém ali, analisando e avaliando tudo. Sem mimimis.
Aprenda a escutar críticas. Todas. Aprenda a saber ser avaliado e reavaliar as coisas. Deitar no divã pode ser muito mais produtivo do que você imagina. Pode ter certeza.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: