Adote um amiguinho de quatro patas. Eu apoio essa ideia!

Daniel Fernandes

25 de julho de 2013 | 06h36

Adriane fala sobre adoção

Com a chegada desse frio não é difícil imaginar como os moradores de rua estão lidando com isso. Se pra eles já é difícil, pense em como os cachorrinhos sofrem com as baixas temperaturas, sem abrigo e sem nenhuma comida quentinha para alimentá-los.
Essa semana está circulando no Facebook  uma foto de um cachorro São Bernardo, ainda filhote, que deve ter por volta de 8 meses, não castrado e que estava amarrado a uma árvore na Avenida Rebouças, nos Jardins. O que leva alguém a ter uma atitude dessas?
Sempre vemos muitos vira-latas, mas os cães de raça também sofrem abandono. Talvez, nesse caso, porque crescem demais, talvez porque sai caro manter um animal que chega a pesar por volta de 70 quilos. Não sei.
Eu não encontro respostas. Existem várias campanhas relacionadas a esse assunto. Não compre, adote. Mas o faça com convicção, com responsabilidade. Não adote pensando que pode devolvê-lo. Os bichinhos não são brinquedos.  Eles sofrem, sentem medo, frio e também ficam muito alegres quando encontram alguém para “chamar de seu “. Esse é o meu dono. O meu tutor.
Mudar esse cenário só depende de nós. Muitos de nós mantemos esse mercado de compra e venda de animais.
Dê uma oportunidade a um cachorrinho abandonado. Permita que ele tenha uma vida melhor. Faça um cachorrinho feliz: adote!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: