A teoria de A para B pode ser o segredo do negócio de sucesso

Daniel Fernandes

10 de abril de 2014 | 07h07

Rafael Mambretti escreve toda quinta-feira
Eficiência e Eficácia
Ah! Essas duas palavras. Uma boa parcela de vocês deve ter ouvido falar delas na faculdade. Seja na aula de teoria geral da administração ou de metodologias da produção (essa matéria chutei, não sei se existe, mas dá um bom nome).
Eficácia e Eficiência normalmente caminham juntas, se parecem e se confundem.
De um tempo para cá, associo o conceito das duas palavras com a Carbono Zero Courier. Em apresentações, costumo falar que contratar a gente é tornar o serviço (mais) eficiente.
Por que?
Vamos começar explicando – bem resumidamente, sem “academiquês” e sem vender livro ou palestra  qual o significado de eficácia e eficiência:
1) Eficácia = cumprir o objetivo, atingir um resultado. Exemplo, levar algo de A para B, se você levou, você foi eficaz.
2) Eficiência = é o fazer, como eu alcanço meu resultado? Exemplo, como Eu levo algo de A para B?
Agora sim, conceitos esclarecidos e entendidos (certo?), então vamos aplicar à realidade de nosso humilde empreendimento. Quando um cliente pede um serviço, ele quer algo levado de um ponto A para o ponto B. Você tem diversas formas de cumprir esse objetivo: a pé, de carro, metrô, trem, contratar alguém para fazer por você, correndo etc. Qualquer uma dessas formas levaria de A a B.
Porém, se começarmos a colocar outras variáveis, começamos a medir a eficiência. Por exemplo, esse levar de A a B está cumprindo o meu prazo? Está custando caro? Está prejudicando o planeta no caminho? Enfim, está sendo feito da forma mais inteligente possível?
Colocar a Carbono Zero Courier para levar de A a B, não é só eficaz, é eficiente. Cumprimos o prazo, fazemos no custo previsto, não prejudicamos o planeta e agregamos valor a marca de nossos clientes.
Nossos empreendimentos precisam pensar não só em cumprir o que foi vendido ou pedido, mas sim em ser eficiente, para o bem do planeta, das pessoas e da própria sobrevivência de nossos negócios.
Até a próxima, Rafael