A gente não consegue mais nem dar conta dos e-mails

Daniel Fernandes

19 de agosto de 2015 | 07h29

Será que sou só eu ou tem mais alguém que não está conseguindo ler e responder todos os emails que recebe no dia? E não estou incluindo os spams. Em um piscar de olhos, o telefone da sua mesa toca, seu gerente regional de manda um WhatsApp urgente, a internet cai, sua avó liga no celular para saber como você está, o consultor precisa receber as projeções para os próximos seis meses até o meio dia, seu sócio quer discutir aquele contrato, três mensagens no Facebook chegaram, na recepção um fornecedor acaba de chegar para tentar apresentar seus serviços. Mais oito emails chegaram nesse fragmento de tempo.
De repente você se dá conta: preciso correr pra almoçar e levar o filho para escola. Mas e os e-mails? No caminho penso: li e respondi? Ou só li? Será que eu li? Chega ser engraçado se começarmos imaginar que um e-mail antigamente era uma simples carta. Queria voltar no tempo para poder desfrutar do ritual de leitura. A sensação pelo menos era clara que o tempo passava mais devagar naquele tempo.
E Einstein estava certo com a Teoria da Relatividade. O tempo é relativo a quantidade de correspondências que você tem para ler e responder.  Quando olho meu inbox com 1.245 mensagens não lidas faz me sentir no quadro do Xou da Xuxa, que no fim dos anos 80 a apresentadora fazia a leitura das cartas ao final de seus programas sentada em uma pilha enorme com centenas de milhares delas.

É só dar um Google que você encontra imagem disso se não acreditar em mim. Se todos os emails virassem cartas, eu seria a Xuxa. Aposto com vocês meu time de botões do Quinze de Jaú que em mais alguns anos alguma dessas escolas de quinta categoria vai inovar e lançar o curso técnico especialista em selecionar, ler, encaminhar e responder emails. E sabe como será esse curso? Por e-mail. Piadas a parte mas há decisões que não podemos voltar atrás. “Ficou por fazer” talvez seja hit do momento. E eu ainda estou tentando apresentar como dançar essa música.
Leo Spigariol, da De Cabrón, escreve toda quarta-feira no Blog do Empreendedor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: