A fila de espera do iPhone é uma festa! (O que o empreendedor pode aprender)

Daniel Fernandes

18 de setembro de 2014 | 12h00

O que todo empreendedor busca é demanda para seus produtos e serviços. Não importa o que você faz. Se houver interesse do consumidor, pronto: você está feito se não trocar os pés pelas mãos em outro quesito fundamental para o sucesso de qualquer empreendimento: a administração das finanças.
Mas o que seduz onze em cada dez empreendedores é mesmo conquistar o consumidor. Torná-lo tão fascinado pelo seu produto que ele seja incapaz de aventar outra possibilidade. Seja incapaz de trocá-lo pelo concorrente. Você pode conseguir isso por meio do marketing, pela estratégia correta de preço, mas principalmente se você conseguir…

Primeiro. Agregar valor ao seu produto. Uma caneta pode não ser apenas uma caneta se você fizer o consumidor enxergar que ela é bem mais do que isso. Se o produto o diferencia dos demais, se lhe confere status, se é diferente de tudo o que foi inventado até o momento. O que nos leva ao segundo ponto.
Inovação. Se você é capaz de fazer produtos absolutamente novos e, depois de muito tempo, ainda consegue fazer melhorias neles a ponto de seduzir o consumidor, você está no caminho certo. É exatamente o ensinamento que a Apple nos deixa. O novo iPhone, questionado por muitos em relação à inovação, é alto de filas de consumidores ávidos pelo produto.

É a aplicação prática do conceito muito difundido recentemente em escolas de administração e marketing que pedem, para as corporações e os empreendedores, que transformem pessoas comuns em clientes e clientes em FÃS.
Veja as fotos e entenda: consumir Apple não é coisa de consumidores, é de fãs. E a fila de espera pelo novo telefone celular, ao redor do mundo, é uma festa. As fotos, pela ordem, foram tiradas em Berlim, Londres e Tóquio.

 
 

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do Empreendedor; Estadão PME

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: