A face empreendedora de Bruce Dickinson: 'Não adianta ter um escritório chique e depois quebrar'

Daniel Fernandes

19 de fevereiro de 2015 | 11h28

Bruce Dickinson foi diagnosticado com tumor na língua, notícia divulgada nesta quinta-feira, 19, e que também informava aos fãs que o músico foi submetido ao processo de quimioterapia e radioterapia. Novas notícias serão divulgadas, segundo o comunicado oficial, apenas em maio. E isso deixa os milhões de fãs do cantor e líder do Iron Maiden apreensivos.
Mas a faceta de rockstar de Bruce é a mais conhecida, mas sem dúvida não é a única do artista. Nos últimos anos, Dickinson tornou-se (muito conhecido) pela sua face empreendedora. Foi ele, mais do que todos os outros integrantes, que transformou o Iron Maiden em uma lucrativa empresa. Duas de suas investidas tornaram-se sucesso de público e vendas: as camisetas especiais da banda que lançou por ocasião da última Copa do Mundo e a cerveja que leva o nome da banda e que tornou-se sucesso em todo o mundo, inclusive no Brasil.
O sucesso dessas duas iniciativas está em amealhar recursos financeiros que não provem necessariamente da venda de músicas ou dos ingressos para shows da tradicional banda de heavy metal.
A face empreendedora de Bruce ganhou mais espaço no País durante a Campus Party do ano passado, quando ele foi um dos principais convidados. Para um auditório lotado, ele falou basicamente sobre empreendedorismo. Separamos algumas frases interessantes.
“Para uma startup chamar a atenção, ela precisa ter boas ideias e ser realista. Precisa ter fãs e não clientes”
“Ninguém quer ter clientes. Eu odeio clientes porque eles têm escolha, podem sempre ir para outro lugar. Precisamos ter fãs”
“Você não vende um produto, você vende um relacionamento com o consumidor.”
“Um dia nos reunimos e pensamos: Imagine se todos os caras que fazem o download da nossa música puderem comprar algo nosso?”, diz. “ Então, pensamos, o que as pessoas fazem quando elas escutam música? Bebem cerveja!”
“Quando você está envolvido com algo, você usa todos os recursos que estão a seu dispor”
“Ter uma boa ideia e custo baixo. O que mata muitas startups é que a primeira coisa que elas pensam é em qual será a cor dos móveis do escritório. Não adianta ter um escritório chique e depois quebrar por não ter controle disso”
Boa recuperação, Bruce.
Daniel Fernandes é editor do Estadão PME

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do EmpreendedorEstadão PME

Tendências: