A disciplina na era do Whatsapp

Daniel Fernandes

28 de outubro de 2015 | 13h41

Disciplina, isto é uma coisa que estou tendo que aprender na marra. Ainda não consegui identificar em qual momento de meu passado algum trauma criou um estigma de que, para ser criativo, era necessário viver no mundo do caos.
Regras atrofiam o ímpeto criativo? Acho que lá atrás, quando comecei a trabalhar em agência de comunicação, essa história começou. Criativo pode chegar mais tarde. Criativo pode trabalhar de madrugada. Criativo pode fazer maior zona que trazendo quinquilharias de casa e tornando a mesa um parque de diversões. Criativo tem war room (sala das ideias) e sempre está fazendo brainstorms intermináveis.
Éramos tratados como bichinhos excêntricos. Com o desenvolvimento de meus negócios, a necessidade de cada vez mais ser disciplinado na organização de meu tempo tem sido fator fundamental para se conseguir desenvolver outros temas. E, quando você é exigido a isso, seu nível de exigência aumenta. Reunião que é permeada por aquele papo furado e sem objetividade tem sido a bruxa que procuro exorcizar.
Certa vez fiz uma reunião com o um empresário de sucesso e figura pública para tratar de um projeto específico para sua empresa desenvolvido pela minha agência de comunicação, a Laika. Fomos recebidos impecavelmente por sua secretária que nos colocou prontamente em sua sala de reuniões principal. Com lugares já pré-definidos, cada um tomou seu lugar. Logo em seguida, sua assistente entrou. Discutimos a pauta e, em seguida, o projeto. Esse empresário entrou dez minutos depois, e, com uma precisão e objetividade ímpar, resolveu todos os pontos. Anotou tudo em sua inseparável agenda e, com uma educação rara nos tempos de hoje, agradeceu e se despediu.
Que aula! Conforme vamos criando mais repertório, adicionamos novas ferramentas em nosso bolsos para conseguir resolver os problemas que enfrentamos para lidar com as tarefas do dia-a-dia. Hoje, estou aprendendo a ter horário para as coisas. E, sobretudo, ter foco naquele momento que você se propõe a se dedicar determinado projeto ou ação e não dispersar energia e trabalho em atividades impertinentes.
Hoje, estamos mais suscetíveis a interrupções. Na década de setenta, a única interrupção que tínhamos era a do telefone e a da secretária. Hoje, só o Whatsapp supera, em um dia, um ano daqueles tempos. Então, fique atento. Aprenda a fazer pausas e determinar horários para as coisas. Eu, por exemplo, estou me esforçando para responder meus emails em dois períodos do dia: das 11h às 11h30 e das 16h às 16h30. Nessa uma hora, foco em ler e responder todos os emails enviados, sem exceções. E tem dado resultado.
Agora, próximo passo é conseguir ser mais eficiente com o Whatsapp. Talvez o maior vilão de todos, pois mistura formalidade com informalidade. Mas, cá entre nós, sinto saudades da vida sem disciplina.
Leo Spigariol é um dos fundadores da De Cabrón

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.