7 dicas para fazer o seu negócio começar 2022 com o pé direito

7 dicas para fazer o seu negócio começar 2022 com o pé direito

Para começar bem o ano, vale fazer um balanço de 2021, elencando o que foi bom e o que pode melhorar; fazer um planejamento com metas, objetivos e métricas vai facilitar a jornada para os próximos resultados

Redação

04 de janeiro de 2022 | 17h00

Por Rafael de Souza, consultor do Sebrae-SP

O novo ano chegou, trazendo novos sonhos, novas metas e a esperança de novos e melhores ventos. Mas, antes de falar de 2022, vale a pena fazer uma retrospectiva de como foi 2021. A pandemia causada pela covid-19 influenciou boa parte do ano passado, iniciamos com muitas incertezas e inseguranças. Mas, no decorrer do ano, já observamos uma significativa melhora no cenário, principalmente com o avanço da vacinação e, consequentemente, com o retorno das atividades muito próximo da normalidade.

As micro e pequenas empresas tiveram de enfrentar muitos desafios por conta da pandemia e seus reflexos, principalmente na economia. Porém, como mar calmo não faz bom marinheiro, terminamos 2021 mais fortes e melhores.

Neste ponto, convido você, empreendedor e empreendedora, a refletir sobre as perguntas abaixo, tendo como objetivo colocar na balança o ano que passou:

  • O saldo está positivo? Em caso negativo, tenha certeza de que aconteceram muitas coisas contra a sua vontade, mas se está positivo é porque fez tudo o que estava ao seu alcance, agindo como protagonista em sua jornada.
  • Alcançou as suas metas pessoais e as da empresa? Seja positiva ou negativa a resposta, quais aprendizados adquiriu?
  • Quais novas competências você desenvolveu e quais precisará focar em 2022?
  • Quais hábitos autossabotadores conseguiu diminuir ou eliminar?
  • O que você levará de bom de um ano para o outro?
  • O que fez, mas deveria fazer menos ou nem fazer?
  • O que não fez, mas deveria começar a fazer este ano?

As perguntas acima são essenciais para você fazer a retrospectiva de 2021, além de te provocar a sair do piloto automático, refletir e pensar em suas primeiras atitudes para o próximo ano. Essa é a primeira dica para começar 2022 com o pé direito.

Planejamento para 2022 requer um balanço do que a empresa conquistou em 2021 e o que pretende alcançar adiante. Foto: Unsplash/@claybanks

Após a sua retrospectiva, a segunda dica é definir seus objetivos e metas para o novo ano. Para isso, você pode refletir sobre o momento atual do seu negócio e como deseja que ele esteja daqui 12 meses: mais organizado, com mais produtos e serviços, com mais unidades, com faturamento maior e produzindo mais com menos.

A terceira dica é fazer a análise FOFA do negócio, definindo quais são os atuais pontos Fortes, os quais podem ser utilizados para explorar Oportunidades que o mercado oferece, além de, em contrapartida, identificar e melhorar os pontos Fracos para que seu negócio não fique vulnerável às Ameaças do mercado.

Definir o que você quer para o seu negócio em 2022 é a parte fácil, agora o desafio é fazer a quarta dica: elaborar o plano de ação, pois é por meio dele que você definirá o que é necessário para realizar tudo aquilo que deseja. Para isso, para cada ação, defina:

  • O que fazer: ação, etapa, tarefa;
  • Por que fazer: justificativa, importância, resultados esperados e benefícios;
  • Quem: nome(s) do(s) responsável(is);
  • Como: defina os métodos, técnicas, processos e ferramentas necessárias;
  • Quanto: quantidade e/ou custo para se realizar;
  • Quando: defina cronograma e prazos de início e fim de tudo;
  • Onde: qual local, área, setor, departamento ou canal será feita a ação.

A quinta dica é definir os indicadores que te permitirão mensurar se está alcançando os resultados desejados, tendo como exemplo:

  • Indicadores financeiros: lucratividade, rentabilidade, poder de pagamento, nível de endividamento, margem de contribuição, ponto de equilíbrio, dentre outros;
  • Indicadores de produção: produtos produzidos, produtos com não conformidade, produtividade homem/hora, produtividade por máquina, etc;
  • Indicadores de marketing/vendas: ticket médio, faturamento, satisfação, fidelização, novos clientes, dentre outros.

Por fim, agora que você já fez a retrospectiva, definiu seus objetivos e metas, analisou as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do seu negócio, elaborou o plano de ação de como conquistar tudo que deseja e definiu quais indicadores te mostrarão se está no caminho certo, faça a sexta dica, ou seja, coloque em prática tudo o que foi planejado.

A sétima dica é um bônus: faça gestão do tempo, principalmente você que chegou até esse ponto da leitura pensando que não tem tempo para executar todas as dicas anteriores. Afinal, se planejando já será desafiador alcançar os resultados, imagine sem planejar e ficar à própria sorte?

Lembrando que estar ocupado o tempo todo não é sinal de produtividade. Na maioria das vezes, já é sinal de falta de planejamento e gestão, o que resulta na chamada “gestão bombeiro”, por exigir que você “apague incêndios” o tempo todo, sendo mais reativo do que proativo.

  • Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Ser produtivo significa saber dizer “sim” e, principalmente, “não” para as coisas certas, priorizando sempre o que é importante, resolvendo as urgências no melhor dentro de uma escala de prioridade, sabendo delegar o que pode terceirizar e ficando longe das distrações.

Agora, vamos colocar a mão na massa? Quanto antes iniciar, mais cedo terá acesso aos primeiros resultados. E lembre-se: conte com o apoio da equipe do Sebrae-SP para colocar em prática todas as dicas acima e começar 2022 com o pé direito.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.