5 mitos sobre empreendedorismo

Daniel Fernandes

21 de agosto de 2017 | 09h02

Empreender é o sonho de muita gente que quer abandonar emprego e iniciar o seu próprio negócio ou mudar de vida. Sair da zona de conforto para colocar a sua ideia de serviço ou produto no mercado dá um certo medo – o que é bem compreensível.
Recebo toda semana algumas perguntas via e-mail – todas muito interessantes e que procuro responder, sempre que possível, de forma direta. Selecionei 5 perguntas que considero universais, e que valem a pena debater e desmistificar, pois são preocupações de toda pessoa que quer iniciar o próprio negócio.


1.     Um leitor, empregado insatisfeito em uma multinacional, quer saber se, iniciando o próprio negócio, ele poderia ganhar mais dinheiro do que como empregado.
Depende. Se o negócio dá certo, o ganho pode ser maravilhoso e rápido, e 5 anos de prosperidade podem valer por 20 anos de salários de seu atual emprego. Mas se o negócio dá errado, significa perder poupança, fazer dívidas, vender patrimônio, envolver a família, não honrar garantias. A despesa é toda do empreendedor. Ou seja, prepare-se para a guerra, faça um plano, treine, aprenda. Minha dica: não entre no empreendedorismo só pelo dinheiro, encontre primeiro o seu sonho.
2.     Estudante de arquitetura, com desejo de abrir um site de venda online, pergunta o que é mais difícil, depois de abrir a loja.
Manter um negócio aberto é muito mais difícil do que abrir. Sempre é bom lembrar que, no Brasil, o índice de mortalidade de empresas em 5 anos é mais de 60%. Para manter um negócio aberto é preciso aprender rápido a encontrar os clientes. Muitos negócios que fazem produtos e serviços ótimos, não conseguem que os clientes cheguem na loja. Google e Facebook estão cada vez mais complexos e caros. Minha dica: se as pessoas não sabem que você existe, as pessoas não virão e o negócio morre. Comunique-se!
3.      Uma professora pergunta se empreender é mais fácil do que o trabalho atual dela.
Claro que cada trabalho é diferente, e sem dúvida que lecionar é uma das atividades mais complexas e desgastantes que existem, e com remuneração aviltada. Mas antes de acreditar que empreender é o paraíso, olhe com cuidado, pois quando você é o empreendedor é preciso fazer muitas mais tarefas que até pouco tempo atrás eram totalmente desconhecidas. São vários trabalhos diferentes e assustadores ao mesmo tempo: produzir, administrar, vender, limpar, atender RH, pagar as contas, negociar com bancos, negociar com fornecedores, visitar sindicato, fazer demissões e etc. Quando se começa não se tem dinheiro para contratar profissionais para cada um desses setores. Minha dica: o EMPRETEC do Sebrae é um curso sensacional para quem quer descobrir e desenvolver o empreendedorismo
4.     Bancário comenta que, ao empreender, ele pretende trabalhar menos e organizar a própria agenda.
Esse é um mito muito comum de quem quer ser empreendedor, e eu posso garantir que não vai rolar. Ou melhor, posso garantir 24 x 7 dias de agenda ocupada e trabalho sem parar por um bom tempo. Quando um negócio está em fase inicial, o empreendedor precisa estar dedicado ao negócio o tempo todo. Grandes ideias precisam se concretizar, precisam serem realizadas, precisam de muito esforço para que aconteçam e se transformem em valor. Minha dica: nunca entre num empreendimento querendo trabalhar menos, pois a expectativa nunca vai ser realizar. Procure empreender no que gosta, e nem vai sentir o cansaço.
5.     Um atleta profissional, chegando em idade onde precisa de outras opções profissionais de vida, considera a opção de empreender e quer saber se vai ter liberdade.
Essa é uma pergunta complexa, mas de resposta muito simples. O empreendedor de sucesso vai assumir muitas responsabilidades, e vai ter que dedicar-se de corpo e alma ao negócio. Isso pode parecer pouca liberdade para alguns. Mas, por outro lado, a realização de sua ideia, e a construção de um negócio de seu jeito pessoal, com sua cultura, sua filosofia de trabalho e seus valores éticos, traz uma satisfação pessoal que poucos conseguem de outro jeito. A formação de uma equipe de trabalho, o relacionamento com os clientes e fornecedores, enfim, tudo aquilo que significa ser o líder de um empreendimento, é uma das sensações mais libertadores que existem. Quem tem a disciplina de atleta, sabe do que estou falando.Minha dica: se como cantava Renato Russo, disciplina é liberdade, e a liberdade de fazer o que se quer vem com um preço. Empreender é liberdade.
Ivan Primo Bornes – empreendedor e fundador da rede de rotisserias Pastifício Primo (www.pastificioprimo.com.br) ivan.primo@pastificioprimo.com.br
 

Tudo o que sabemos sobre:

Blog do Empreendedor

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.