ESTADÃO PME » » notícias

Oportunidade| 28 de agosto de 2012 | 6h 19

Sebrae e MercadoLivre lançam plataforma grátis para criar loja online

Projeto vai impulsionar 3 mil novos negócios virtuais em um prazo de 12 meses

Renato Jakitas, Estadão PME

Helvio Romero/AE
Helvio Romero/AE
Empresária Gica Mesiara, da Quadro Vivo, que achou complicado e caro investir no e-commerce

Respaldados pela proliferação e pelos resultados financeiros dos sites de comércio eletrônico no Brasil, o Sebrae e o Grupo MercadoLivre lançam hoje uma ferramenta para construção de lojas virtuais para micro e pequenos empreendedores.

Batizada como Primeiro E-commerce (www.primeiroecommerce.com.br), a plataforma vai permitir que qualquer empresário tire do papel seu projeto virtual, às vezes engavetado pelos custos da operação e também pela falta de conhecimento sobre a área.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

O acesso e o processo de criação da página virtual são gratuitos. No entanto, a cada venda concretizada serão cobrados 4,99% sobre o valor pago pelo cliente final. O montante é referente aos custos das transações financeiras, que são chancelados pelo MercadoPago, plataforma de pagamento pela internet do MercadoLivre.

“A experiência de abrir a loja vai ser mais ou menos como montar um perfil em uma rede social. O tempo de criação vai depender do número de fotos e do tipo de informação que a pessoa vai inserir ali”, afirma Helisson Lemos, diretor geral do MercadoLivre no Brasil. “Eu já vi gente, em testes aqui dentro na empresa, montar uma loja dentro do Primeiro E-Commerce em menos de cinco minutos”, conta o executivo, que vai oferecer ao empresário quatro modelos de loja e cerca de 200 opções de planos de fundo para a composição da loja online.

Segundo Luiz Barretto, presidente do Sebrae, a expectativa é de que nos primeiros 12 meses pelo menos 3 mil negócios tradicionais lancem versões online por meio da plataforma. “Nos últimos anos, esse mercado no Brasil vem crescendo na casa dos 20%, segundo pesquisas que realizamos. O e-commerce registrou R$ 14 bilhões em 2010, chegou a R$ 18,7 bilhões no ano passado e, para 2012, a gente espera R$ 23 bilhões”, afirma.

Barretto também chama atenção para a necessidade de formular uma estratégia antes da adesão ao Primeiro E-commerce. Para ele, não é qualquer empresa que pode entrar nesse segmento. “É uma ferramenta mais para pequena empresa do que para o micro empresário e o empreendedor individual. O empreendedor precisa ter bem claro que se entrar e não for bem-sucedido, pode comprometer a imagem do negócio. Um risco que o pequeno empresário não pode correr”, alerta.

Além da estrutura para vender, a plataforma oferece um canal de vídeos com informações, capacitação e dicas sobre o setor. “São cursos que explicam o bê-á-bá do comércio eletrônico. De gestão à operação, passando por gerenciamento financeiro, marketing e comunicação”, conta Lemos, do MercadoLivre.

Processo complicado. O receio de ingressar em um universo que não domina, aliado aos custos envolvidos, foram justamente os motivos que afastaram a empresária Gica Mesiara das vendas na internet.

Há dez anos ela deixou uma carreira bem sucedida no mercado financeiro para abrir a Quadro Vivo, empresa especializada em projetos sob medida de jardins verticais, com destaque para os quadros e telas que não emolduram desenhos tradicionais, mas combinações de plantas.

Com faturamento em torno de R$ 4 milhões, a empresária idealizou uma série de produtos que considera com adequação para a venda online, mas não encontrou no canal a motivação para seguir em frente.

"Achei tudo muito complicado. Tinha de procurar o cara para fazer o site, a empresa para o sistema de pagamento, estabelecer a logística. Resolvi abortar a ideia", lembra.

Ao saber da nova plataforma, a empresária diz que analisa reconsiderar a decisão. “Eu achei a ideia muito boa para o que preciso. A internet pode me dar escala para, por exemplo, uma linha de produtos de bricolagem. Vamos analisar com calma para concluir o que faremos”.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui



Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo