ESTADÃO PME » » notícias

Encontro PME| 27 de agosto de 2014 | 16h 53

'O sonho e a competência conduzem o crescimento', diz fundador da Localiza

Eugênio Mattar está no comando da maior rede de aluguel de veículos da América do Sul, hoje avaliada em US$ 3,5 bi

Gisele Tamamar, Estadão PME

Robson Fernandjes/Estadão
Robson Fernandjes/Estadão
Empresário toca marca avaliada em R$ 3,5 bilhões

Seis Fuscas usados e financiados deram início a maior rede de aluguel de carros da América do Sul, a Localiza. Hoje, 41 anos depois, a empresa tem 534 agências, 118 mil carros e está avaliada em US$ 3,5 bilhões. Quem está no comando da empresa é um dos sócios-fundadores, o engenheiro Eugênio Mattar. Para o atual CEO da companhia, tudo começa pequeno. “Você vai crescendo de acordo com o tamanho do seu sonho e da sua competência”, afirmou.

::: Estadão PME nas redes sociais :::
:: Twitter ::
:: Facebook ::
:: Google + ::

De acordo com o empresário, o sucesso da Localiza envolve pelo menos três características. A primeira é a paixão pelo atendimento ao cliente. “Por exemplo, se eu estiver em uma reunião do conselho e um cliente ligar, eu saio da reunião e vou atender a ligação porque ele é mais importante que qualquer coisa. E eu tenho que sinalizar isso para as pessoas que trabalham na Localiza. O cliente será a medida do seu resultado”, afirma o empreendedor.

O segundo ponto é a paixão por trabalhar com pessoas e a formação de um time competente, que ajudará na construção da empresa. “Você não vai conseguir fazer a empresa ser grande sozinho. No começo, você até consegue, mas quando começa a crescer as pessoas vão ganhando importância. O desafio é como integrar esse time e criar valores”, completou.

Já a terceira característica inclui a vontade de fazer lucro. “Se você não der resultado, sua empresa não vai ter sucesso, você não vai conseguir atender os clientes e não vai dar um reconhecimento para as pessoas que trabalham com você”, afirmou Mattar. As experiências adquiridas durante sua trajetória na Localiza foram compartilhadas por Eugênio Mattar durante o Encontro PME com pequenos empresários. Confira os principais trechos do evento.

Sonho. O sonho de Mattar era ser engenheiro, uma semente plantada pelo seu pai. “Eu era bom em matemática e na infância meu pai falava para os amigos que o filho ia ser engenheiro. E aquele sonho ficou na minha cabeça”, contou o empresário, que na época ainda morava no interior de Minas Gerais.

Como Mattar não tinha condições financeiras de pagar moradia em Belo Horizonte para estudar em uma faculdade pública, e também não conseguia arcar com os custos de uma escola particular, o caminho para chegar à faculdade de engenharia foi a escola militar.

Mattar estudou durante três anos na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar) e quando iria ingressar na Academia da Força Aérea foi convidado pelo irmão, Salim, para morar em Belo Horizonte caso garantisse uma vaga na faculdade pública. “Como meu objetivo não era ser militar, era ser engenheiro, fui fazer engenharia”, contou.

A proposta para fazer parte da Localiza foi feita quando o empresário estava no terceiro ano da faculdade. “Comecei a trabalhar junto com meu irmão. Foi um plano que deu muito certo. Tem os acasos, a sorte e a competência. Mas o trabalho e a competência têm que estar sempre juntos”, pontuou.

Diferente. A Localiza tenta estimular a inovação internamente por meio de um programa de reconhecimento para os funcionários. Uma das preocupações é colocar na cabeça dos colaboradores que inovação não envolve apenas uma grande mudança. Mattar exemplifica que a empresa deu um grande passo quando começou a vender os carros da frota diretamente ao consumidor – atualmente, mais de 60% dos veículos são comercializados dessa maneira. Mesmo assim, o empreendedor contou que uma pequena mudança proposta também ajudou muito o negócio. Um funcionário da Localiza sugeriu o registro de um resumo de contrato, para que as assinaturas envolvidas no emplacamento de um carro ficassem em uma mesma página. “Imagina quantos carros emplacamos. E em vez de reconhecer firma em várias páginas, fazemos isso uma vez só. Imagina a economia gerada!”, contou Mattar.

“Nós premiamos todos os meses as ideias de inovação para mostrar que ela não precisa ser uma coisa muito diferente. É fazer diferente e melhor uma coisa que já está sendo feita”, destacou o executivo.

Persistência. Para Mattar, a vocação para começar e manter em crescimento uma empresa nasce com a pessoa. “O empreendedor tem alguma coisa diferente dentro dele. Você vai precisar ter mais energia, vai correr mais riscos.”

E nas horas das crises, não existe uma estratégia milagrosa, segundo Mattar. “Elas acontecem. Quando você é pequeno, é muito mais fraco. A medida que vai crescendo tem que criar suas fortalezas para ficar mais resistente. Isso envolve capacidade de trabalho, inteligência e instinto de sobrevivência. Nada garante o sucesso e a permanência da empresa.”

Para quem pretende se arriscar com um negócio próprio, o conselho do empresário é um só: “Muito trabalho, competência, formação de um time, disciplina e, acima de tudo, muita vontade de vencer”.

Estadão PME - Links patrocinados

Anuncie aqui